Um dos casais mais discretos do jornalismo brasileiro está em uma temporada mais exposta. Isso porque Sandra Annenberg e Ernesto Paglia têm sido vistos cada vez mais em eventos no eixo Rio-São Paulo.

O Yahoo conversou com ambos na noite de segunda-feira (7) durante uma destas aparições - o lançamento do livro, “Pequenas Vinganças”, de Edney Silvestre - e perguntou sobre os hábitos do reservado casal.

“Não somos dessa geração. Hoje tem uma geração que cultua muito sua própria personalidade com o trabalho, sempre separamos isso. Somos de um tempo que apresentador de telejornal ia jantar e não pedia bebida alcoólica, pegava mal”, lembra o jornalista.

Bastante caseiros, nas últimas semanas eles tiveram uma agenda agitada. Os dois assistiram a um dos últimos shows da turnê de despedida de Milton Nascimento em São Paulo. “Subimos a montanha e fomos (risos)”, brincou Ernesto. “Me debulhei em lágrimas de tanto que chorei”, entregou Sandra.

Fãs de outros nomes da MPB como Caetano Veloso e Chico Buarque de Holanda, eles não saem de casa para qualquer show. “Aglomeração, ver de longe e aquelas coisas não me sinto confortável. Uma vez fomos em um show do Paul McCartney e fiquei com aquela sensação que não era uma coisa tão legal”, lembrou Sandra.

Já na última semana, o casal aplaudiu de pé Suely Franco, Deborah Evelyn e Nathalia Dill no teatro do Tuca, em São Paulo. Eles compareceram à estreia paulista do espetáculo “Três Mulheres Altas”: “Vim do teatro, cresci no teatro, o levo para conhecer os textos, peças que ele adora”, ressalta a jornalista.

Se as saídas para o teatro são frequentes, para o cinema não há o mesmo apelo há alguns anos. A “tela grande” instalada na residência do casal ganhou cada vez mais espaço na rotina para assistir séries e filmes. Mas eles não deixam de estar presentes nos lançamentos literários dos amigos. “Como o Edney que está no 17º livro. Ele escreve ficção, que pra mim é inacreditável”, elogia Ernesto.

Além de gostarem de ficar em casa, Ernesto destaca um outro empecilho que os limita às vezes: trânsito. “O deslocamento incomoda um pouco. Tem que estar realmente muito a fim e ter bons motivos”, completa.

Quando não saem, Sandra e o marido também fazem programas recebendo amigos ou sozinhos. “Gostamos de fazer um churrasquinho no domingo, quem cozinha é ele e eu faço o mise en place (que é a preparação dos alimentos, como cortar legumes). Entrego e ele faz a magia. A trilha é sempre o MPB, que amamos”, conclui a apresentadora do “Globo Repórter”.

Fonte: Yahoo


Deixe seu Comentário